VPNs grátis estão vendendo seus dados

Usar uma VPN gratuitamente é divertido e desafiador, navegar em páginas da web restritas e ficar incógnito, bem como escondido do provedor de Internet. No entanto, todo esse poder e independência trazem algumas ameaças.

Não é incomum encontrar empresas que empregam procedimentos fraudulentos no momento em que pretendem vender e estender suas marcas. Um espaço em que é mais comum do que se acredita, está no ramo de VPNs. 

Nos últimos tempos a VPNetic, descobriu que, ao contrário de suas confirmações de site, uma análise em 283 VPNs revelou que 72% das VPNs gratuitas continham rastreadores de terceiros integrados. Elas armazenam os registros de seus consumidores, a fim de comercializá-los para o maior lance.

Considerando que atualmente as leis do GDPR podem ser cumpridas, por ser uma regulamentação que estabelece a proteção de dados, estão atentos à forma como as empresas utilizam as informações do consumidor para fins de marketing.

No entanto, no que diz respeito ao abuso de informações, os serviços de VPN, principalmente serviços gratuitos, acabam por ser os maiores responsáveis. É comumente estimado que o uso de uma VPN é uma opção mais confiável para um ISP regular, a fim de ocultar o tráfego de rede e contornar geoblocos.

Muitas pessoas usam uma VPN para proteger sua privacidade; no entanto, alguns dos consumidores acreditam erroneamente que ao usar uma VPN ninguém será capaz de acessar seus dados. Infelizmente, não é o caso, a empresa VPN em oposição ao provedor de internet pode acessar os dados.

Dependendo de qual provedor você deseja usar, uma VPN é provavelmente pior do que apenas usar o seu ISP.

Na verdade, na maioria dos casos, o fato de a largura de banda poder ser comercializada ou distribuída está detalhado na política de privacidade; no entanto, a maioria dos consumidores não se preocupa em ler as letras miúdas.

Os gestores mais conhecidos estão incluídos no Hola VPN, com mais de 7,2 milhões de consumidores e Betternet superior a 2 milhões de usuários.

A maioria das VPNs, sem nenhum custo, pertencem a um sistema de comércio e troca de informações.

Se você usar qualquer provedor VPN gratuito, não é apenas pouco provável que você esteja protegido, uma vez que existe uma grande probabilidade de que as informações sejam coletadas e negociadas ao melhor preço.

Para consumidores distraídos, as VPNs gratuitas acabam por ser uma solução simples. Mas por outro lado, eles entendem os riscos que as restrições simbolizam na rede e tentam ajudar ou até porque grande parte deles se manifesta em sua página web. Hoje, no entanto, as empresas de VPN gratuitas desenvolveram um modelo econômico lucrativo, focado na negociação de largura de banda do consumidor.

Deixe um comentário