Economia

Hoje o Brasil irá conhecer o novo Pacto Federativo

Governo Bolsonaro deve apresentar diversas medidas econômicas nesta terça 05/11.

pacto federativo governo bolsonaro economia

Na tarde desta terça-feira, dia 05 de novembro, o Governo Federal deverá anunciar oficialmente o novo Pacto Federativo. Este é um importante passo para a área econômica e que vem sendo considerado fundamental para a transformação da economia no país.

Este pacto deverá unir regras constitucionais que são responsáveis pela arrecadação de recursos, quais são as áreas de atuação dos estados e municípios na economia e principalmente as obrigações com os contribuintes brasileiros.

500 bilhões de reais

R$ 500 bilhões, esta é a estimativa do Ministério da Economia para o impacto decorrente deste Pacto Federativo. Ele deve aumentar a transferência de recursos dos estados a municípios. Mas esta é apenas uma estimativa, já que fatores como a Reforma previdenciária e Tributária podem comprometer o total em partes.

Mais recursos serão destinados aos estados e municípios do país, porém haverá um controle mais rigoroso, principalmente com relação a gastos que envolvam pessoal e custeio. Os repasses deverão ser destinados em sua grande maioria para investimentos em obras públicas para o cidadão e também para reduzir as dívidas de cada região.

Reforma da Previdência aprovada, quais as próximas etapas agora?

Medidas do Pacto Federativo

Entre as medidas principais que deverão ser propostas estão:

  • Aumento do repasse da União para a manutenção do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb), indo de 10% para 15%. Os recursos deverão ser provenientes dos fundos constitucionais;
  • Aumento na divisão de recursos do pré-sal a todos os estados e municípios e não somente a uma faixa específica. Os recursos serão provenientes do mega leilão de petróleo.
  • Haverá uma descentralização dos recursos, onde verbas do petróleo e Fundeb devem chegar em maior quantidade à estados e municípios. A proposta também determina que as despesas deverão deixar de crescer na medida do possível, sempre com base nos indexadores. Haverá também a desvinculação de recursos, onde não haverá uma obrigação de gastos em determinadas áreas. Este será o plano DDD.
  • Unificação de gastos da Saúde e Educação;
  • Criação do Conselho Fiscal da República que deve reunir integrantes do Congresso Nacional, Judiciário, Economia e também dos estados. A estimativa é que a cada três meses este conselho deverá analisar a destinação de recursos públicos e se estão sendo cumpridas todas as regras fiscais sobre os mesmos.

Bolsonaro deverá participar também das reuniões.

O anúncio acontece através do Palácio do Planalto, provavelmente logo após o almoço.

Leave your vote

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

GIPHY App Key not set. Please check settings

To Top

Log In

Forgot password?

Forgot password?

Enter your account data and we will send you a link to reset your password.

Your password reset link appears to be invalid or expired.

Log in

Privacy Policy

Add to Collection

No Collections

Here you'll find all collections you've created before.