Tenente-coronel do exército americano, Alexander Vindman, fala em impeachment

Nesta tarde de terça-feira (29/10), houve um depoimento de grande importância no caso do processo de Impeachment do presidente americano, Donald Trump.

O tenente-coronel do Exército americano, o militar Alexander Vindman, que é diretor de assuntos europeus do Conselho de Segurança Nacional, disse que ficou bem estarrecido ao ouvir que Trump pediu para o presidente da Ucrânia para investigar o democrata Joe Biden.

Houve uma denúncia do caso a autoridades da Casa Branca, ligando um alerta sobre a segurança nacional americana.

Vindman chegou para depor devidamente uniformizado, sendo a primeira autoridade da White House, a falar em juízo sobre o inquérito que está tramitando na Câmara dos Deputados dos Estados Unidos, com o objetivo de “impeachmar” Trump.

Taxa extra para voo internacional deve acabar no governo Bolsonaro.

Testemunha chave

O militar foi a primeira pessoa a ouvir a ligação do dia 25 de julho, que foi o ponta pé inicial para o provável impeachment de Trump.

Antes mesmo de testemunhar, o militar havia sido questionado por muitos jornais a favor de Trump, sobre a sua lealdade aos Estados Unidos. Já outros como Joe Biden, disse que Vindman é um herói. Biden é um dos fortes concorrentes contra Trump nas eleições de 2020.

Para Biden, quem criticou o militar é um ser humano desprezível, já que o oficial é leal ao Exército dos EUA, um verdadeiro patriota.

“Fiquei preocupado com a ligação. Não achei adequado exigir que um governo estrangeiro investigasse um cidadão dos EUA e fiquei preocupado com as implicações para o apoio do governo dos EUA à Ucrânia”

Esta foi uma das frases de Vindman durante o seu depoimento no processo de impeachment que vem sendo promulgado pela ala democrata do país.

Biden investigado

O mesmo Biden é o nome citado por Donald Trump neste escândalo. O presidente havia feito um contato telefônico com o presidente ucraniano Volodymyr Zelenskiy, solicitando a investigação sobre Biden e Hunter Biden, seu filho, sobre a atuação durante o tempo que passou no conselho de uma empresa de gás da Ucrânia.

Deixe um comentário

!-- Global site tag (gtag.js) - Google Analytics -->