Apostas esportivas: vale o investimento?

O setor das apostas esportivas tem tido um crescimento espantoso no Brasil, e a tendência é que esse mercado continue se expandindo nos próximos anos. Dessa forma, muitas pessoas têm aderido ao mundo dos palpites e estão conseguindo obter um bom rendimento sem precisar sair de casa.

            Não precisamos nem mencionar que em terras tupiniquins o futebol é o carro-chefe das apostas e o garoto propaganda desse mercado. Porém, as operadoras tendem a diversificar as suas ofertas de serviço, cobrindo diversas modalidades esportivas, como basquete, vôlei, MMA, Fórmula 1, e há aquelas que ainda enveredam pelo ramo da jogatina, a exemplo da 1xBet cassino, que além de atender à demanda pelos palpites em vários eventos esportivos, também oferece um amplo catálogo de jogos, como poker, blackjack e roleta.

            Atualmente no país, há uma infinidade de plataformas estrangeiras que oferecem apostas em eventos esportivos para os brasileiros. Uma pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), sob encomenda da Caixa Econômica Federal, chegou a conclusão que este setor movimenta R$ 2 bilhões. E o professor da FGV, Pedro Trengrouse, aponta que esse valor poderia chegar a casa dos R$ 10 bilhões caso a indústria fosse regulamentada, já que no Brasil as plataformas de jogatina são legalizadas, mas ainda carecem de uma regulamentação mais ampla. Para sustentar seu argumento, Trengrouse utilizou outros países como exemplo, citando a França, onde, depois da regulamentação, o total apostado quintuplicou.

            Legalidade

            Os palpites em eventos esportivos se tornaram legais no Brasil no finalzinho de 2018, através do projeto de lei 13.758, que autoriza que operadoras que possuam sede no exterior a atuar em território nacional. Entretanto, o jogo em estabelecimentos físicos ainda continua ilegal no país, e apenas as operações geridas pelo Estado, através da Loteria Federal são permitidas.

            Porém, nesses últimos anos tem sido feito um grande lobby para a regulamentação das várias modalidades de jogatina no país, como cassinos, bingos, jogo do bicho e em plataformas online. A prerrogativa é de que os empregos, impostos e conceções garantidas ao setor ajudariam a amenizar a crise economia brasileira, e o dinheiro colhido pelo Estado através das taxas poderia ser direcionado a vários setores importantes da sociedade.

            Nos dias de hoje, são dois os projetos que tramitam na Câmara dos Deputados e no Senado Federal que visam a regulamentação dos jogos de azar. Sendo que uma dessas propostas, o Projeto de Lei do Senado Federal 186/14, tem previsão para ser votada em breve pela Comissão de Constituição e Justiça do Senado. E este é o último passo antes dela ir ser votada no Plenário.

            Já o Projeto de Lei 0442/91 foi aprovado por uma comissão especial da Câmara, e está pronto para ser votado no Plenário da Casa. Inclusive, ele conta com um pedido de urgência assinado por vários, porém este foi rejeitado.

            Apostar dá lucro?

            Primeiramente, a prática é permitida apenas para pessoas acima dos 18 anos. Caso se interesse, sempre busque um site com bastante credibilidade no setor e que seja bem avaliado pelos usuários. As apostas esportivas podem ser vistas como uma alternativa de entretenimento, já que a garantia de retorno é incerta. Mas há palpiteiros profissionais, a exemplo de Juliano Fontes, que escreveu o livro “Invista em Futebol” e alega ganhar R$ 15 mil por mês no setor. Mas assim como qualquer investimento, o interessado no mundo dos palpites precisa estudar bastante o assunto para aumentar suas chances de sucesso.

            Mas uma coisa é certa: o mundo das apostas esportivas não é para quem tem um coração fraco, então não aposte por apostar. Todo palpite deve ser ponderado e fundamentado, e não se deixe levar pela pura emoção e estoure a banca com apenas um pitaco – sempre seja paciente.

Deixe um comentário

!-- Global site tag (gtag.js) - Google Analytics -->